6 de março de 2014 / Fotografia

O tema desse mês no 6 on 6 é “O que me faz sorrir” e eu escolhi seis fotografias simples, porque afinal, as coisas que mais nos fazem felizes são as mais simples não é mesmo?

DSC_0156

Dançar me faz sorrir. Não apenas a dança, mas a arte de uma maneira geral… A música, a dança, a escrita, a pintura…

IMG_0239

Deus me faz sorrir. Acordar a cada dia e ver os privilégios que Deus me dá, saber que ele sempre está ao meu lado dá uma aquecida no coração

IMG_6275

Sorrir para desconhecidos e ser retribuída me faz sorrir ainda mais, é um dos pequenos e melhores prazeres da vida, na minha opinião.

IMG_7095

As tardes rindo com minha irmã (e com o resto da minha família também), me fazem feliz.

IMG_7099

Fotografar me deixa excepcionalmente feliz e consequentemente risonha, é umas das coisas que mais gosto de fazer!

IMG_7145 - Cópia

 

Ver meus amigos sorrindo me faz sorrir, mas isso é algo que acontece com todo mundo né?

 

Bem, como eu disse, fotos simples que representam as coisas mais importantes pra mim! Espero que tenham gostado.

Confiram também a seleção da Alana, Ana, Jaque, e Am!



8 de fevereiro de 2014 / Fotografia

Sim, eu sumi. Mas agora renasci das cinzas como uma Fênix. E preparei uma lista dos últimos filmes que vi cuja fotografia me emocionou mais que a história.

(Não está em ordem de preferência)

1- Na Natureza Selvagem

Assistir esse filme dá uma vontade imensa de tirar os sapatos e sair correndo por aí sem rumo por causa das paisagens absurdamente lindas. É ainda mais emocionante por ser baseado em uma história real


2- O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Eu não conheço uma pessoa que tenha assistido e não gostado de Amélie, muito menos alguém que não tenha visto mais de uma vez. No meu caso assisti 15, completamente apaixonada não só pela Amélie ou pela história, mas também pela fotog… Quer saber, nem preciso dizer nada, pra vocês entenderem é melhor assistirem, confiem.


3- A Invenção de Hugo Cabret

O diretor é Martin Scorsese, baseado no livro de Brian Selznick, mas o que me encantou foi o trabalho do Robert Richardson na direção de fotografia, já era de se esperar algo impactante a julgar pelo filme “O Aviador”, ambos ganharam o Oscar de Melhor Fotografia, obviamente.


4- Saga Crepúsculo: Amanhecer, parte 2

Nunca gostei da Saga Crepúsculo, salvo a trilha sonora, mas o que é a fotografia desse último filme, gente!


5- Angel-A

Ai Paris, ai Angela… Apaixonantes. Não que o final tenha me agradado muito mas meu coração acelerou nos efeitos especiais das últimas cenas.


Tentarei não desaparecer por tanto tempo, beijão da Angie!

angie



6 de janeiro de 2014 / Fotografia

Feliz ano novo gente! Não tive a oportunidade de desejar (estou deixando os posts agendados para o blog não ficar desatualizado e o ano novo passou em branco). Bem, um ano novo começou e com ele um novo projeto do 6 on 6! Vocês devem ter percebido que a cada mês mais pessoas saíam e entravam, estava uma bagunça!
Dai, a Alana recomeçou o projeto, dessa vez o grupo é: Alana, Bruna (eu), Am, Jaque, Lê e a Ana. Na verdade o grupo é praticamento o mesmo né haha

Bem, esse mês o tema das fotos é livre, então escolhi algumas da viagem:

IMG_5596

IMG_5701

IMG_5704

IMG_5743

IMG_5976

 

Essas foram as fotos escolhidas para esse mês, confira também as fotos da Am, , Jaque, Ana e Alana.

bru



29 de novembro de 2013 / Fotografia

Vocês sabem que eu adoro projetos fotográficos, e aqui vai um muito fofo, de uma fotógrafa que registrou a gravidez de maneira bem simples, mas ficou um encanto (especialmente a última, muito amor).

mae13 mae22 mae31 mae41 mae51 mae61 mae71 mae81 mae91 mae101

 

E aí, gostaram? Comentem!

bru



6 de outubro de 2013 / Fotografia
Mais um mês do projeto! Esse mês selecionei fotos de ensaios e de um dia que fiquei fotografando na loja de skate mais legal daqui da cidade 



Gostaram? Confiram mais na minha página!
Confiram também as fotos da



14 de setembro de 2013 / Blogueira Fotografia

Quem me segue no instagram já viu algumas fotos que tirei desse projeto! Bem, para quem não sabe, “White Lies” significa “mentiras brancas”, aquelas mentirinhas pequenas que “não fazem mal a ninguém”. Minha ideia é retratar algumas delas com fotografia! Vejam:

Essas duas representando aquela mentirinha que todas as mulheres falam: Estou quase pronta

Essas duas foram super divertidas de fazer e representam outra mentira que as mulheres contam: Não tenho NADA pra vestir


E essas duas últimas (desculpem-me pela péssima qualidade da segunda), representam aquela mentirinha que todo mundo fala: Estou quase chegando!

Essas foram as três mentiras que fotografei até agora! Tive que dar uma parada no projeto, mas pretendo voltar, porque gostei demais e é super divertido criar as cenas. 
Quem quiser ver mais das minhas fotos é só me seguir no instagram e curtir minha página no facebook!

Espero que tenham gostado! Quem tiver alguma sugestão de White Lie é só comentar e vou tentar fotografar! 




13 de setembro de 2013 / Fotografia

Oláa, estou de volta, já me cobraram post mas eu estava com muita coisa da escola para resolver, but I’m back. Estava fuçando no Instagram (quase nunca faço isso), e encontrei o Theron e sua cadelinha Maddie, confesso que o cara manda muito bem, além de tirar fotos excelentes, ele tem um projeto chamado “Why we rescue”, achei muito interessante e resolvi compartilhar com vocês.

  • Theron
O Theron fez uma entrevista com a National Geographic Traveler e achei bem legal, peguei os pontos mais importantes, se quiser ver a entrevista inteira só clicar aqui.
“Os números por si só são surpreendentes, 365 dias e algumas 66.000 milhas registrados na estrada, 90 mil fotos e 50 estados visitados. Theron Humphrey levou um ano para ver a América e registrar as histórias das pessoas.
“Eu queria viver uma vida diferente. Eu queria descobrir coisas novas e conhecer novas pessoas”, diz Theron Humphrey , que deixou seu trabalho como fotógrafo de estúdio de moda e caiu na estrada em agosto de 2011 com a missão de fazer amizade com uma pessoa a cada dia, todos os dias, para documentar história de vida dessa pessoa.”
NGT : O que o inspirou a viajar da forma que resultou em seu ser escolhido como um viajante do Ano ?
TH : Algumas pessoas incríveis vieram antes de mim , como Stephen Shore e Robert Frank . Mas eu queria ir para o mundo e saber os nomes e apertar as mãos , e não apenas apontar a câmera para eles. Eu queria saber a sua história e celebrar a sua vida.
NGT : Qual é o próximo?
TH : Eu tenho outro projeto em andamento que envolve histórias e aventura aberta sobre o mar.”Uma das várias pessoas que o Theron fotografou durante esses 395 dias (para ver todas é só ir aqui):

Garrett Cornelisonabout 
Doug Rosten
Carole
Glen e Joann Brunson
  • “Why We Rescue”
“Why We Rescue é um documentário que conta histórias de pessoas em todos os 50 estados com destaque para animais de estimação, de como eles transformam nossas vidas para melhor. Esse projeto é uma oportunidade de compartilhar histórias cotidianas sobre como os animais de estimação podem abrir nossas casas e corações para o mundo.”
 Para saber mais do projeto e ver fotos das pessoas com seus bichinhos de estimação é só ir no site da Why We Rescue.
  • Maddie
Maddie é a cadela do Theron, uma Coonhound. Sempre aparece nas fotos dele, gente a Maddie é mais fotogênica que muita modelo por ai!!
Olhem que cadela mais linda, dá vontade de apertar. A minha cadelinha odeia tirar fotos, senti uma invejinha da Maddie.
E ai, o que acharam?  Caso você queira saber mais confira o Instagram do Theron, o site ou a sua página do Facebook.
Beijão da Let.


6 de setembro de 2013 / Fotografia

Já estamos no mês de setembro! E esse mês tenho muitas fotos e foi muito difícil escolher, porque, como muitos sabem, comecei a trabalhar com fotografia e estou fazendo ensaios (para mais informações fale comigo na minha página: Bruna Alecrim Fotografia).
Bem, vamos lá:

Foto para representar uma tarde que passei com duas amigas em um parque aqui da minha cidade.

 Fotos que fiz da Gabriela Paschoal

 Meu projeto fotográfico, onde recrio algumas personagens de filmes e livros


 Meu primeiro trabalho sério, com a Duda

Ensaio que fiz da Amanda 

E essa última representando a minha nova cor de cabelo! Pintei, não sei se vou manter, estou numa fase em que quero me encontrar e agradeço aos amigos e a minha família que vem me apoiando nisso.

Bem, essas foram minhas fotos desse mês! Confira também as da Letícia!




26 de agosto de 2013 / Fotografia
 Quem me conhece sabe muito bem que prefiro mil vezes estrelar atrás das câmeras ao invés de encará-la frente à frente, mas devido ao projeto Explore o Alheio estou tentando acabar com este receio, que é uma das minhas metas. Resolvi então passar à diante algumas dicas que amigos(as) fotógrafos(as) e meus improvisos quando o assunto é auto retratos.
  1. Descubra seu melhor ângulo
     Comece pelo espelho, faça várias poses e “caras e bocas” diferentes. Explore-se. Uma boa ideia é você configurar o temporizador da sua câmera em frente ao espelho, assim você consegue montar as poses e salvá-las pra ver qual é melhor e qual não te favoreceu, como fiz nas seguintes fotos:


     Ambas têm o mesmo “objetivo”, que apenas parte do meu rosto seja fotografada, mas a primeira tem um aproveitamento de luz meio “burro”, pois a janela estava à (minha) direita e virei o rosto para à esquerda, realçando algumas imperfeições da pele (vou parar de comer tanta coisa gordurosa, juro) e minhas olheiras (vou parar de dormir de madrugada, juro), além de a pose ter me deixado com um ar tenso, que não combina com o objetivo da foto (caseiro e confortável). Já na segunda, meus ombros estão soltos e o rosto parcialmente iluminado, do jeito que eu queria.
  2. Tripé ou improviso.
    Pra quem não investiu em um tripé, pode se virar com livros amontoados, caixas, qualquer coisa que atinja o ângulo que você pretende fotografar. Há um tempo atrás eu e alguns amigos precisávamos nos virar com uma câmera em um tripé de flash (sim, há diferença), tentamos amarrar uma fita e quase dissemos adeus à câmera, portanto cuidado com as “gambiarras” que fará, evite superfícies leves em um lugar que tenha vento, por exemplo.

  3. Use um rebatedor ou improvise.
     Vocês já viram esse vídeo aqui? É a mesma mulher na mesma posição, apenas a direção da luz muda, e faz MUITA diferença. 
    Não deixe sombras te deformarem. Algo que me irrita profundamente é a sombra do nariz no próprio rosto, você pode corrigir esses detalhes com um rebatedor ou improvisar com um pedaço de papelão, isopor, ou até mesmo uma cartolina, qualquer coisa que capte e redirecione a luz para o seu rosto. Como? Deixe-o encostado em algum lugar contra a luz, natural ou artificial, que está usando. Você pode também optar por ignorar todas as “regras” e:

    Usei luz artificial do meu abajur com a janela fechada e luz apagada à noite (sim, janela fechada à noite faz diferença)


  4. assunto principal é você. 
     “Auto” “retrato”, se você se fotografa em um local com várias pessoas, acaba perdendo a atenção da foto, a não ser que use alguma iluminação direcionada especialmente a você, como nessas:

    Usei somente luz natural da janela no fim de tarde de um dia nublado.


  5. Monte uma trilha sonora para escutar enquanto se fotografa
     Todos os ensaios que faço são acompanhados de uma lista de reprodução para “entrar no clima”, mas faça uma que combine com o local onde você está. Nas fotos dos itens anteriores a minha lista era composta por músicas suaves, não faria sentido colocar Sex Pistols pra tocar enquanto eu fazia cara de “preguiça” (rs).

     Aproveitando o assunto pra apresentar a vocês minha amiga Mariana Saliba, ela cursa publicidade na UFPR e também é fotógrafa. O projeto mais conhecido dela é justamente um de auto retratos, uma foto por semana durante um ano. É quase impossível de acreditar nos resultados que ela posta no tumblr, mas eu acompanhei um deles pessoalmente e garanto que são feitas por ela mesma, sem ajuda de ninguém, com todas as dicas deste post, com vários improvisos e, claro, com MUITO talento. Se ficaram interessados no trabalho dela, podem conhecer mais na página do facebook.

     Enfim, espero que as dicas tenham sido úteis, se quiserem me mostrar os resultados ou tirar mais alguma dúvida, me mandem um e-mail (angiefotografa@hotmail.com) ou uma mensagem no KIK (incinerate).

     Até a próxima, beijão da Angie!



8 de agosto de 2013 / Fotografia
Olá, meu primeiro post aqui no blog será para contar um pouquinho da minha experiência com fotografia. Até hoje guardo a primeira foto que fiz com uma câmera analógica automática e por mais que eu tivesse cinco anos, acreditem, eu me lembro desse momento. É simplesmente meu pai falando ao telefone, mas adorei aquele barulhinho engraçado que faz quando a foto está sendo processada e continuei tirando foto de tudo que via.


 E vocês, lembram-se da época do Orkut? E dos “TOPs”, aqueles perfis que pegavam fotos alheias e classificavam como “melhores de tal categoria”? (Muitas vezes sem créditos pra fazer doações para fakes, o antigo Instagram no Tumblr, if you know what I mean). Então, eu adorava tirar fotos temáticas com minhas amigas e essas fotos sempre iam parar nos tais dos “TOPs”, chegaram a fazer um fã clube pra mim e pra algumas dessas minhas amigas. A partir daí meus pais acharam que eu teria futuro como modelo, eu era bem magra e fotogênica, mas nunca me interessei. 

Em 2010 pedi uma câmera semi profissional de aniversário, acabei ganhando uma Nikon D90 (uma profissional, na época A profissional) e eu não fazia IDEIA de como usar aquela “metralhadora cheia de botões”. Foi em 2011 que me inscrevi para um curso básico na Escola Portfólio de Fotografia com duração de um semestre, um tipo de intensivo (mais tarde farei um post sobre cursos de fotografia) e a finalização desse curso me deu a oportunidade de fazer uma exposição (com as fotos de todos os alunos do curso) que só saiu em 2012, junto com meu certificado de conclusão vulgo diploma de fotografia básica.

(Uma das aulas do curso. Basicamente exercitar o olhar escolhendo algumas fotografias e falando sua interpretação sobre ela, qual abertura, exposição e ISO o fotógrafo provavelmente usou, se há tratamento digital, etc)

(O tema da exposição era “Sonhos”, essa é a minha favorita do ensaio. Modelo: Luiza Queluz)

Nesses dois anos (2011 e 2012) de interesse intenso por fotografia e cinema, fiz amizade com meu vizinho, Giovani Zilke (taí um vídeodesse lindo), um excelente cinegrafista e hoje é como um primo/tio pra mim, e me apresentou um tal de Gustavo Horn. O Gustavo era (e é) um prodígio em imagem e filme e estava gravando o primeiro vídeo para o patrocínio do blog Jacaré Banguela, sabendo que eu era fotogênica e me interessava pela coisa toda, convidou minha mãe e eu para atuarmos alguns segundos nesse vídeo. A partir desse dia eu tive certeza que estar na frente das câmeras não é pra mim, mesmo assim fui convidada outras duas vezes e aceitei só pra ficar de olho nas gravações e aí sim me encontrei, atrás das câmeras.


(Que carinha de pirralha né, gente?! Faz tempo…)

Participando dos vídeos do Gustavo, conheci pessoas muito legais com os mesmos interesses que eu e que sempre me ajudaram na divulgação da minha imagem como “promessa de fotógrafa mirim” e também fui ficando cada vez mais “cara de pau”. Sendo “cara de pau”, me enfiava em qualquer gravação. Por exemplo, vocês já viram aqueles comerciais da bebida Wake (é um achocolatado, café, sei lá, quase como um Toddyinho, na verdade não sei porque nunca experimentei, enfim) da Melitta? Um deles foi gravado no Museu Oscar Niemeyer aqui em Curitiba e eu estava lá no dia, meu amigo e eu tivemos a cara de pau de nos enfiar nos bastidores pra ficar olhando a gravação e conversar com as pessoas que estavam produzindo. Produção, imagem, “AÇÃO!”, câmeras, filmadoras, maquiadores, comercial… Então tá bom, decidido: Vou cursar Publicidade e Propaganda! Além desse episódio, houve vários outros, mas um que me marcou bastante foi estar no lugar certo na hora certa: Caminhar na rua e ver a produtora O Quadro gravando um curta. Lá vai a Angie cara de pau se enfiar no meio e entrosar com os caras. Não deu outra: Participei como figurante no tal curta e fiz amizade com os produtores. Essa amizade rendeu mais um convite pra participar de outro, um dia inteiro num ambiente cinematográfico com os caras mais simpáticos e engraçados que conheci, um dos melhores dias da minha vida. O curta estreou na Cinemateca de Curitiba.


(Estreia do curta na Cinemateca)


(Eu e as meninas com os produtores d’O Quadro)


(E uma foto que o Daniel Florencio fez minha no dia da gravação)

Claro que desde que ganhei minha câmera, principalmente depois da conclusão do curso, eu nunca deixei de praticar, quase todos os dias, explorando a técnica (em breve farei um post sobre isso também) mas também exercitando o olhar.  Hoje faço ensaios fotográficos gratuitos e com orçamento, em domicílio ou externos, e tenho vários projetos fotográficos ativos. Segue algumas fotos dos tais ensaios:


(Julia Simões)


(Fernanda Kowalski)


(Andre Schaefer)


(Fernanda Kowalski e Julia Albrecht)

Cada vez mais, portas são abertas pra mim quando se trata de fotografia e cinema e sou eternamente grata às pessoas que conheci nesses últimos anos, tanto profissionais quanto amadores, inclusive pessoas que me incentivaram e encorajaram desde cedo com elogios e críticas construtivas, por esses tenho um carinho ENORME.

Fotografia não é simplesmente apertar um botão como a maioria pensa, há MUITA coisa por traz disso e a minha missão aqui no blog é explicar essas “coisas” uma por uma. Bom, acho que já falei demais, deixa o resto pros próximos posts, espero que eu consiga conquistar a simpatia e a confiança de vocês pra isso.

 Até a próxima, beijão da Angie!