30 de abril de 2015 / Leitura

Um Mais Um

Sempre me falaram muito a respeito das histórias de Jojo Moyes e não importava a livraria em que eu fosse, sempre encontrava um exemplar de um dos seus livros olhando pra mim sobre pilhas e pilhas de outros. Aproveitando o lançamento do livro Um mais um pela Intrínseca, decidi arriscar. Não me arrependi.

“Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou.

Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno gênio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá?

Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de praia por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã — que insiste em que ele vá visitar o pai doente —, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio.”

Desde o momento em que li a primeira página pude perceber que Jojo é – como muitos haviam comentado – uma exímia escritora. Com uma narrativa leve e envolvente, ela nos prende desde o início. O começo sutil e curioso faz você passar as páginas sem perceber; a maneira como Jojo escreve faz com que a leitura seja leve e fluida.

Os capítulos são divididos de acordo com o ponto de vista de quem narra. Todos os quatro personagens principais têm sua vez.

Jess é uma mãe dedicada e muito trabalhadora. Possui um caráter invejável e uma determinação sem igual. Já no começo é possível perceber seu esforço para manter sua família e como se dedica a ensinar seus filhos da melhor maneira possível. Seu otimismo se faz presente durante toda a narrativa, é inspirador. Ed é o típico exemplo de pessoa que se torna milionária quase sem querer, mas é bastante pé no chão mesmo com a vida confortável que leva. Nicky, filho adolescente de Marty que Jess adotou, é o personagem mais fácil de se identificar. Meio perdido por causa do bullying que sofre, é um adolescente bem maduro e pé no chão, luta para encontrar seu lugar, sua tribo. Tanzie é a irmãzinha que todo mundo gostaria de ter; dedicada ao que gosta, companheira e está sempre com medo de ter o motivo de descontentamento dos outros.

um mais um2

Com personagens reais e bem marcados, Um Mais Um não é um conto de fadas. A história é bem pé no chão, são narrativas possíveis e humanas; é fácil se identificar com alguma situação ao personagem narrado. Um personagem sofre por conta do bullying, outro gosta daquilo que muitos julgam ou não acreditam que ele seja capaz de conseguir, o terceiro confiou em quem não deveria e o quarto só quer dar o seu melhor para aqueles que ama. Todos podem se identificar com a trama em algum momento.

A leitura flui facilmente, toda a narrativa foi muito bem trabalhada para fazer o leitor passar página por página sem se dar conta e cada capítulo termina de uma maneira que faz com que continuar lendo seja bem gostoso. É o tipo de livro que você não corre pra terminar, apenas aproveita as palavras. Os diálogos são engraçados, bem humorados e os pensamentos são bem sarcásticos, soltei algumas risadas enquanto lia.

 

Um ponto forte da história foi a personalidade bem marcada dos personagens. Jojo Moyes conseguiu escrever uma história em que os personagens não mudam muito de comportamento sem que fosse necessários, muitos escritores erram feio nesse quesito; cansei de ler histórias em que um personagem começava agindo de um jeito e mudando alguns capítulos depois sem que tivesse acontecido nada marcante.

Jojo também não corre para fechar a trama como acontece grande parte das vezes. Cada capítulo se desenvolve no seu tempo, de maneira contínua e bem escrita. Não percebi nenhum ponto solto na história, ao final do livro tudo acabou da maneira que tinha que ser – a mais humana possível. A questão da humanidade foi um ponto forte ao meu ver, a narrativa é tão possível que faz a gente dar valor à nossa realidade. O livro me fez repensar algumas coisas, acho que é exatamente esse o objetivo da literatura afinal. Queria ter lido um pouco mais de romance entre Jess e Ed mas sabia que o foco principal do livro não era exatamente esse.

Um Mais Um não é um daqueles livros em que se tem muito a comentar a respeito, é uma leitura prazerosa, tranquila e uma pedida certa. A trama não é complexa mas é muito bem escrita, não é agitada mas nem de longe chega a ser entediante, não é o livro mais apaixonante do mundo mas com certeza vai fazer alguns sorrisos se formarem.

 

Um mais um foi escrito por Jojo Moyes e publicado no Brasil pela editora Intrínseca.

 

Classificação: 4/5 estrelas.

Um Mais Um3

“– Você é a pessoa mais positiva que já conheci. Nunca parece sentir pena de si mesma. Qualquer obstáculo que encontra pela frente, você simplesmente passa por cima.

– Arrancando os cabelos e levando tombos no caminho.

– Mas você segue em frente.

– Quando alguém me ajuda.

– Tudo bem. Essa comparação está ficando confusa. – Ele tomou um golinho de cerveja. – Eu só… queria lhe dizer isso. Sei que está quase acabando. Mas gostei desta viagem. Mais do que eu esperava.

Sua resposta saiu antes que ela percebesse o que dizia:

– É. Eu também.

Eles ficaram sentados. O Sr. Nicholls olhava para a perna de Jess. Ela se perguntou se ele estava pensando o mesmo que ela.

– Sabe de uma coisa, Jess?

– O quê?

– Você parou de se remexer.”

Resenha original no blog Nostalgia Cinza. 

Gostou da resenha? Já leu o livro ou ficou com vontade de ler? Não deixe de comentar!


Gostou do post? Compartilhe com suas amigas e ajude a espalhar o EA por aí!

INSTAGRAM // TWITTER // FACEBOOK // TUMBLR


Bruna Alecrim

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *